segunda-feira, 27 de julho de 2015

Brasil encerra sua participação no Pan de Toronto com pior campanha das ultimas 4 décadas

Para um país tão grande que acostumou a ver triunfos espetacular que começou la em Helsinque, na Finlândia em 1952 com o atleta José Telles da Conceição no salto em altura, passando pelos feitos de atletas como Adhemar Ferreira da Silva o João Do Pulo, Robson Caetano, Joaquim Cruz, Maurren maggi entre tantos outros, que conquistaram medalhas para o Brasil em Jogos Olímpicos, Pan-Americanos e mundiais no atletismo se depara com uma realidade  bem diferente porque no Pan de Toronto-2015, a modalidade de atletismo tão charmosa conseguiu apenas uma medalha de ouro conquistada pela atleta Juliana dos Santos, nos 5000m. Ao todo o Brasil conseguiu 13 medalhas sendo esse ouro nos 5000m, 6 pratas e 6 bronzes ficando assim na terceiro posição no número total de medalhas, atrás das 41 alcançadas pelos Estados Unidos e das 26 do Canadá. 
Essa competição denominada Jogos Pan-Americanos foram disputados pela primeira vez em Buenos Aires na Argentina, em 1951. com essa edição foram 17 no total sendo que o Brasil conquistou 173 medalhas: 57 de ouro, 51 de prata e 65 de bronze mais no entanto foram uma das piores campanha do pais que no pan de Guadalajara foram 10 ouros e 23 no total.
Esses resultados deixou os amantes do atletismo bem preocupados principalmente em relação aos velocistas essa preocupação existe porque não fomos bem no Pan que não teve os EUA, Jamaica com seus principais atletas, outro questão e que estamos a véspera duas super competições que é o mundial e as olimpíadas sendo esta ultimo que vai ser disputadas no nosso país. 
Mais pensando do outro lado a nossa base ta começando a engrenar pois no mesmo período que estava sendo disputado o Pan no Canadá paralelamente estava sendo disputado em Cali na Colômbia o mundial de menores que são os atletas com idade entre 16 e 17 anos completos, a seleção nacional teve um otimo feito chegando a Sete finais nas provas de barreiras, fundo e arremesso, alem de conquistar três medalhas uma de prata nos 100 m, uma de bronze nos 800 m e uma de bronze no salto em distância, Antonio Carlos. O dirigente observa que "Houve crescimento vertical (no número de pódios conquistados) e também horizontal (no número de provas de diferentes especialidades). site CBAT