domingo, 26 de junho de 2011

O ESTÁGIO EXTRACURRICULAR NA LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO INFANTIL E FUNDAMENTAL

Professor: Gislei da Silva Pimentel

O estágio obrigatório e uma oportunidade dos alunos que estão na graduação têm de colocar em pratica tudo aquilo que aprendeu, Para Fernandes e Martins (2008) o estágio e uma experiência que aproxima o acadêmico do seu verdadeiro objetivo que e o campo de atuação, onde e a hora que podemos nos experimentar como professores e colocar as idéias ate então teóricas e pouco experimentadas na pratica, adequando as atividades para as necessidades de cada turma para chegar ao objetivo final que e transmitir conhecimento para eles.

Mais não e simplesmente o acadêmico entrar na faculdade e já ir fazer estágio eles tem que fazer matérias que vão ensinar eles a aplicar as aulas partindo de um método. que o acadêmico deverá ter adquirido os conhecimentos básicos sobre o Homem, a sociedade, a natureza e as possibilidades de interação com os conceitos básicos que permitam a intervenção pré-profissional orientada em diferentes atividades próprias da área de atuação, o que deverá ocorrer nos quatro períodos iniciais da preparação oferecida no curso de graduação em Educação Física, pois a educação física e uma área da saúde e nos primeiros anos iniciais na escola que e o ensino infantil este profissional deve ter o conhecimento amplo da área, pois as crianças estão em pleno desenvolvimento e aulas planejadas de qualquer forma que não Supla a necessidades e esteja de acordo com aquela faixa etário pode causar um dano irreversível a criança por isso De acordo com o (CONFEF, 2001),” estágio extracurricular é aquele que envolve o acadêmico de Educação Física a partir 5 (quinto) semestre do curso de graduação em ações de aprendizado sob orientação de um profissional da área”. RAMOS (2002) lembrar que tal Resolução diz respeito aos estágios extracurriculares que sejam, desenvolvidos em campos de atuação profissional da Educação Física que não os escolares já que, no ensino formal, há legislação própria delimitando quem poderá atuar. De acordo com Kunz (2002), atualmente, a atuação profissional da Educação Física não atende as necessidades do mundo da infância, por não encontrar uma formação profissional adequada que contemple o mundo da Educação Infantil, o que significa que a prática docente não pode estar limitada apenas em proporcionar ambientes de brincadeiras ou jogos como meio para se alcançar outros fins, que em geral não interessam às crianças.

Para Silva et al o estágio e definido como princípios metodológicos pautados na ação,reflexão, ação. Assim, os estágios curriculares podem oferecer aos formandos momentos significativos de aprendizagem. Nessas situações os alunos poderão entrar em contato com a realidade profissional das atividades que exercerão futuramente.

O tema estagiário ultimamente vem sendo foco de varias pesquisas, o estagio é de suma importância para a carreira de qualquer profissional, mas algumas perguntas ficam no ar como, por exemplo, “Será que estagiários de Educação Física trabalham como profissionais formados e recebem de maneira diferenciada? A hipótese preliminar para este questionamento seria que os estagiários de educação física estão sendo tratados como profissionais graduados e estão sendo usados como mão de obra barata para os donos de academias e escolas.

Mas algo muito ruim vem ocorrendo, as empresas cada vez mais estão diminuindo os gastos com seus empregados para estarem oferecendo um menor preço do seu produto, e só fazem contratações em ultimo caso, assim aumentando o numero de profissionais desempregados, fazendo que o salário dos trabalhadores que estão atuando diminua devido ao grande quantidade de professores formados, mas mesmo com salários bem baixos os empresários contam com uma grande brecha na lei brasileira a Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977, regulamentada pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto de 1982 na qual mostra que estágio não é emprego, logo não cria qualquer vínculo trabalhista entre as partes. Por não ser empregado, o estagiário não tem direito a férias, 13º salário, aviso prévio em caso de rescisão contratual. Também não se aplicam, em seu caso, obrigações como contribuição sindical, verbas rescisórias, cadastramento/recolhimento de PIS/PASEP, para o INSS ou para o FGTS. O estagiário, ainda, não tem direito aos benefícios assegurados aos demais empregados da empresa, como vale-refeição, vale-transporte, assistência médica, cesta básica, etc. (Resolução CONFEF, 2001a).

É de senso comum na comunidade de educação física que os estagiários desempenham funções de profissionais graduados e recebem de maneira diferenciada. E com base no pensamento de Platão que focado na justiça concluímos que atualmente as pessoas continuam sofrendo injustiças na sociedade e um bom exemplo disso seria as condições dos estagiários de educação física, que embora sejam tratados como professores não recebem os mesmos direitos como o mesmo, portanto o objetivo deste trabalho é verificar com uma revisão de literatura como os estagiários de educação física são tratados pelo mercado de trabalho.

O estagio extracurricular e uma oportunidade que os acadêmicos de educação física tem de adquirir experiência para a sua vida profissional essa chance e dada aqueles que realmente gosta da profissão pois o estagio em muitas vezes não e remunerado, mais esse estagio deve ter o acompanhamento de um professor regente pois esse estagiário ainda não e formado e não detém todo o conhecimento necessário para esta atuando e quando se vem a cabeça “A Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade” (BRASIL, 1996, art. 2. LDB). E para atuar nessa serie que e a iniciação da criança na escola o professor tem que saber diagnosticar as necessidades e elaborar as atividades de acordo com as necessidades básicas desse aluno que depende do meio onde esse aluno vive o estagiário ainda não tem essa noção e não pode atuar no ensino infantil sem que um profissional esteja do lado para esta verificando os seus planejamentos para ver se estão de acordo isso não quer disser se um estagiário esta na escola ele não pode planejar as suas aulas e aplicá-las, só tem que ter uma supervisão que vai servir com complemento na sua vida profissional porque e errando que se aprende.

Ensino fundamental é uma das etapas da educação básica no Brasil. Tem duração de nove anos, sendo a matrícula obrigatória para todas as crianças com idade entre seis e 14 anos. A obrigatoriedade da matrícula nessa faixa etária implica na responsabilidade conjunta: dos pais ou responsáveis, pela matrícula dos filhos; do Estado pela garantia de vagas nas escolas públicas; da sociedade, por fazer valer a própria obrigatoriedade. Regulamentado por meio da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, em 1996, sua origem remonta ao Ensino de Primeiro Grau, que promoveu a fusão dos antigos curso primário (com quatro a cinco anos de duração), e do curso ginasial, com quatro anos de duração, este último considerado, até 1971, ensino secundário e de uns anos atrás A duração obrigatória do Ensino Fundamental foi ampliada de oito para nove anos pelo Projeto de Lei nº 3.675/04, passando a abranger a Classe de Alfabetização.

O ensino fundamental não e diferente e uma parte de ensino que e obrigatória diferentemente do ensino infantil que são para poucos e nas periferias ou seja escolas publicas a 1° serie do ensino fundamental e o primeiro contato da criança com a escola ou seja aquela etapa de desenvolvimento físico, psicológico, intelectual e social, esta no inicio e a educação física não pode fugir do seu ideal que e o desenvolvimento completo da criança para que ela cresça e saiba o verdadeiro valor da educação física o que não acontece por causa muitos profissionais da área postulam a Educação Física como uma disciplina, no entanto, desenvolvem as aulas caracterizando-a como uma atividade. Limitam-se a comandar exercícios e atividades desportivas esquecendo da sua principal função como educador que é a elaboração e transmissão de conhecimentos (KOLYNIAK, 2000).

O estagiário que esta fazendo estágio extracurricular entra nessa estatística, pois por falta de um conhecimento especifico sobre quais são os conteúdos a serem trabalhados no ensino fundamental porque na graduação tem ate o 5° período onde são trabalhados essas matérias especificas para que depois do 5° período o estagiário esteja apto para fazer estagio, quando esse fato foge ao controle e o estagiário entra numa escola antes do tempo previsto ele vai trabalhar na escola aquilo que e ele domina pois e um conteúdo fácil que se aprende em qualquer lugar o ‘’esporte” fazendo das aula de educação física iniciação esportiva questão a qual muitos alunos tem uma dificuldade e acaba não adquirindo um conhecimento que o torne critico da sua vida.

Pesquisas realizadas por BRITO (1999) apontam a falta de contextualização dos conteúdos das aulas, já que 74,4% dos alunos de um Colégio afirmaram que nas aulas "práticas" não existem explicações teóricas do conteúdo ministrado. Desta forma, a aula de Educação Física perde o seu significado, caracterizando-a cada vez mais como uma atividade. Que serve apenas como divertimento.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

Silva S, A, P,S et’ all. Situação do estágio supervisionado em IES privadas da grande São Paulo. rev. educ. fis. (Online) vol.16 no.3 Rio Claro July/Sept. 2010.

RAMOS, Glauco N. S. Os estágios extracurriculares na preparação profissional em educação física. Movimento Percepção, Espírito Santo do Pinhal, v.1, p.127-141, 2002

Rocha. R. M, Bonfim. D. L. Estagiários de Educação Física: solução

ou problema para o mercado de trabalho? Revista Digital - Buenos Aires - Año 13 - Nº 129 - Febrero de 2009


Simon. A.R.C.H. S, Domingues, S, C. Reflexões sobre a formação inicial em Educação Física e suas relações com a educação infantil. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Año 15, Nº 153, Febrero de 2011.